Leuprorrelina

Ações terapêuticas.

Antineoplásico.

Propriedades.

Análogo sintético do hormônio liberador do hormônio luteinizante. Estimula, ao nível da adeno-hipófise, a liberação de hormônios luteinizante (LH) e folículo-estimulante (FSH), o que aumenta de forma transitória as concentrações de testosterona em homens; entretanto, a administração diária contínua no tratamento do carcinoma prostático suprime a secreção do hormônio liberador de gonadotrofinas, o que produz queda na concentração de testosterona e a denominada "castração médica". Sua meia-vida é de 3 horas e produz um aumento transitório de testosterona durante a primeira semana do tratamento, porém em seguida diminui, no prazo de 2 a 4 semanas, aos níveis de castração.

Indicações.

Câncer de próstata avançado, como alternativa à orquiectomia ou à administração de estrógenos.

Posologia.

Por via subcutânea: 1 mg/dia. Depot: 7,5 mg por via IM uma vez por mês.

Reações adversas.

No início do tratamento pode haver um aumento transitório da dor tumoral ou óssea, associado com o aumento de testosterona sérica. São de incidência mais frequente: sudoração e sensação de calor (50%), visão turva, prurido, sensação de pungência no local da injeção. Mais raramente observaram-se diminuição do desejo sexual ou impotência, anorexia, náuseas, vômitos, entumecimento ou formigamento (parestesia) em mãos e pés.

Precauções.

É importante um escrupuloso monitoramento por parte do médico: determinação de fosfatase ácida sérica e de testosterona sérica. Os pacientes com obstrução das vias urinárias devem ser observados com cuidado durante as primeiras semanas de tratamento. Não foram descritas interações medicamentosas ou contraindicações.