Eculizumabe

Ações terapêuticas.

Anticorpo monoclonal.

Propriedades.

Trata-se de um anticorpo monoclonal humano recombinante produzido por cultura de células de mieloma murino. Do ponto de vista químico, é composto por duas cadeias pesadas de 448 aminoácidos e duas cadeias leves de 214 aminoácidos. Seu peso molecular é de 148 KDa e contém regiões de IgG4 e IgG2 humanos. O eculizumabe apresenta uma ligação específica de elevada afinidade com o complemento proteico CS. O fármaco inibe o complemento terminal mediador da hemiólise intravascular em pacientes com hemoglobinúria paroxística noturna (PNH), reduzindo o fenômeno hemolítico. É administrado por via intravenosa; sua meia-vida é de 272 ± 82 horas.

Indicações.

Hemoglobulinúria paroxística noturna.

Posologia.

Por via intravenosa, em uma perfusão de 35 minutos, 600 mg cada sete dias, durante 4 semanas, continuando com 900 mg por semana e, em seguida, 900mg a cada 14 dias. O ritmo posológico recomendado é 5 mg/ml.

Reações adversas.

Assinalaram-se cefaleia, dorsalgia, lombalgia, náuseas, reações de hipersensibilidade.

Precauções.

Os pacientes tratados deverão ser controlados escrupulosamente, em função da possibilidade de hematese de grau variável, o que pode ser observado pelo aumento da LDH (desidrogenase lática) sérica.

Contraindicações.

Infecção por meningococo ou infecções sistêmicas em resolução. Pacientes não vacinados contra Neisseria meningitidis.