Salmeterol

Ações terapêuticas.

Broncodilatador.

Propriedades.

É um moderno agonista beta 2-adrenérgico seletivo, de ação prolongada, que é empregado exclusivamente na forma inalatória (aerossol). Os receptores beta 2 encontram-se principalmente no músculo liso brônquico, embora entre 10% e 50% deles localizem-se no miocárdio, o que explica suas possíveis ações cardiovasculares. O estímulo dos receptores beta 2 do músculo liso brônquico gera broncodilatação, enquanto que nos mastócitos inibe-se a liberação de mediadores da inflamação. No pulmão humano o salmeterol inibe tanto a fase imediata como a tardia na resposta diante de alérgenos inalados. Esse efeito perdura ainda 30 horas após uma única dose, quando o efeito de relaxamento desapareceu completamente.

Indicações.

Tratamento e manutenção da asma, prevenção do broncospasmo em pacientes maiores de 12 anos com doença obstrutiva reversível das vias aéreas. Não usar em pacientes asmáticos que possam ser controlados com agonistas beta 2 de ação curta. Prevenção do broncoespasmo induzido por exercício em maiores de 12 anos. Pode ser usado de forma isolada ou em combinação com outros fármacos (corticoides, teofilina).

Posologia.

Para manutenção da broncodilatação e prevenção dos sintomas da asma, indicam-se 42 mg duas vezes por dia (manhã e noite). Para a prevenção do broncospasmo induzido pelo exercício recomendam-se 42 mg entre 30 e 60 minutos antes da atividade física.

Superdosagem.

Taquicardia, arritmia, tremores, cefaleias, cãibras musculares. Hipopotassemia. Hiperglicemia. Existe o risco de parada cardíaca e morte. Tratamento: principalmente de suporte e, se necessário, administração de bloqueadores beta-adrenérgicos (atenolol, propranolol).

Reações adversas.

Taquicardia, palpitações, reações de hipersensibilidade imediata (erupções, urticária, broncospasmo), cefaleias, tremores, nervosismo e broncospasmo paradoxal.

Precauções.

Não usar para tratar crises agudas, nas quais devem-se empregar agonistas beta 2 de ação curta (salbutamol). Não é substituto de corticoides. Em caso de broncoespasmo paradoxal, deve-se suspender seu emprego imediatamente. Por não existirem provas conclusivas, recomenda-se não usar em mulheres grávidas a menos que o benefício para a mãe supere o risco potencial para o feto. A lactação deve ser suspensa se a mãe vai receber salmeterol. A segurança e a eficácia do fármaco em crianças menores de doze anos não foram estabelecidas.

Interações.

Inibidores da monoamino oxidase, antidepressivos tricílicos: podem potencializar as reações cardiovasculares do adrenérgico.

Contraindicações.

Hipersensibilidade a algum dos componentes da forma farmacêutica.