Ramipril

Ações terapêuticas.

Anti-hipertensivo.

Propriedades.

O ramipril é um inibidor da enzima conversora da angiotensina. Após sua administração oral, o pico de concentração plasmática é produzido ao término de uma hora. Sua absorção flutua entre 50% e 60% e não é influída significantemente pelo alimento. Excreta-se 60% pela urina, de forma inalterada e metabólitos, e 40% pelas fezes.

Indicações.

Hipertensão arterial.

Posologia.

A dose inicial recomendada é de 2,5 mg 1 vez ao dia. Conforme a resposta, a dose pode ser aumentada com intervalos de 2 a 3 semanas, a 5 mg e até um máximo de 10 mg diários. A administração de diuréticos deve ser interrompida 2 a 3 dias antes de iniciar o tratamento com ramipril.

Reações adversas.

Geralmente os efeitos colaterais são leves e transitórios; a suspensão da terapêutica somente foi requerida em 3% dos pacientes tratados com ramipril. As causas mais frequentes para a suspensão foram: tosse (1%), vertigem (0,5%) e impotência (0,4%).

Precauções.

Ministrar 1,25 mg diários, em pacientes com deterioramento da função renal ou importante depleção sódica.

Interações.

Os pacientes que tomam diuréticos, especialmente aqueles com terapêutica recém-instituída, podem experimentar uma excessiva redução da pressão arterial. A administração de suplementos potássicos e diuréticos economizadores deste cátion pode aumentar o risco de hiperpotassemia. Em pacientes medicados com lítio, a administração de ramipril pode ocasionar um aumento da litemia, razão pela qual é recomendado seu seguimento estrito.

Contraindicações.

Hipersensibilidade à droga. Edema angioneurótico hereditário. Gravidez. Lactação.

Medicamentos que tem Ramipril e outro princípio ativo