Nomegestrol

Ações terapêuticas.

Progestágeno.

Propriedades.

Trata-se de um progestágeno sintético derivado da 19-norprogesterona, cuja função é de compensar a insuficiência endógena de progesterona. Sua afinidade pelo receptor da progesterona é 2,5 vezes superior à do hormônio natural. Não possui atividade androgênica, anabolizante, estrogênica, corticoadrenal nem anti-inflamatória. Do mesmo modo, o nomegestrol não interfere no metabolismo de glicídeos, água ou de eletrólitos. Após sua administração do 5° ao 25° dia com uma dose de 5 mg ao dia, o nomegestrol elimina o pico ovulatório das gonadotrofinas, diminui a taxa de estrógenos circulantes e impede a secreção de progesterona. A absorção por via digestiva é rápida, liga-se avidamente a proteínas plasmáticas e sua eliminação, na forma de conjugados glicuronídeos e/ou sulfoconjugados, é predominantemente intestinal, sendo pequena fração eliminada na urina.

Indicações.

Tratamento de distúrbios ligados à insuficiência lútea, alterações dos ciclos menstruais (amenorreia secundária, espanomenorreia, menometrorragias, hemorragias uterinas funcionais, particularmente no período pré-menopausa), hiperplasia endometrial, dismenorreia, síndrome pré-menstrual, mastodínias e tratamento da menopausa.

Posologia.

Adultos: via oral, 5 mg por dia. O tratamento habitual é de 10 dias por ciclo: do 16° ao 25° dia inclusive. A dose e a duração do tratamento podem ser modificadas na dependência da natureza, da indicação e da resposta da paciente.

Reações adversas.

Os principais efeitos adversos compreendem modificações do ciclo, amenorreia, sangramentos intermediários. Excepcionalmente podem ocorrer aumento de peso, insônia, alterações gastrintestinais, agravamento da insuficiência venosa dos membros inferiores, possibilidade de icterícia colestática e prurido.

Precauções.

Recomenda-se não administrar nomegestrol a mulheres no período de amamentação pois o fármaco é eliminado no leite materno. Aconselha-se, antes de iniciar o tratamento, comprovar ausência de adenocarcinoma de mama ou de endométrio. Apesar da inexistência de observações quanto a alterações tromboembólicas e metabólicas pelo uso de nomegestrol, recomenda-se interromper o tratamento caso ocorram incidentes oculares tais como perda da visão unilateral, diplopia, lesão vascular da retina, acidentes tromboembólicos e cefaleias importantes. Administrar com precaução em pacientes com antecedentes de infarto do miocárdio, doenças vasculares cerebrais, hipertensão arterial e diabetes.

Interações.

Uso simultâneo com hipoglicemiantes requer controle rigoroso do nível de glicose no sangue e na urina, devido ao possível efeito diabetogênico dos progestágenos. Não administrar simultaneamente com carbamazepina, fenobarbital, fenitoína, primidona, barbitúricos, griseofulvina e rifampicina, pois estes fármacos, ao induzirem as enzimas responsáveis pelo metabolismo do nomegestrol, diminuem sua eficácia terapêutica.

Contraindicações.

Tromboflebite. Insuficiência hepática. Gravidez. Metrorragias.

Medicamentos que tem Nomegestrol

Medicamentos que tem Nomegestrol e outro princípio ativo