Bilastina

Ações terapêuticas.

Antagonista da histamina sem efeitos sedativos.

Propriedades.

A bilastina, ou ácido 2-[4-(2-{4-[1-(2-etoxietil)-1H-benzoimidazol-2-il]-piperidin-1-il}etil)fenil]-2-metilpropinoico, é um antagonista da histamina sem efeitos sedativos, de longa duração de efeito, que apresenta afinidade pelo receptor H1 periférico, e sem afinidade aparente pelos receptores muscarínicos. A bilastina revelou ser bem tolerada, sem efeitos colaterais adversos graves, nem alterações clinicamente significativas nos sinais vitais, nem nos parâmetros de segurança em laboratório, nem nos achados dos eletrocardiogramas (ECG). A segurança cardiológica da bilastina foi comprovada em um estudo sobre o intervalo QT/QTc levado a efeito em conformidade com as Normas ICH (Conferência Internacional de Harmonização) E14. A absorção de bilastina é rápida, linear e proporcional à dose administrada; parece ser segura e bem tolerada com qualquer dose em uma população sadia. A administração múltipla de bilastina confirmou a natureza de linearidade dos parâmetros cinéticos. Um estudo conduzido em um grupo de população específica não mostrou nenhum efeito em relação ao gênero ou idade sobre a cinética da bilastina. Realizou-se um estudo do metabolismo do fármaco por meio de incubação in vitro com microssomas hepáticos e hepatócitos humanos e de outras espécies. A bilastina não induz a atividade enzimática da família das CYP450 (CYP2B6, CYP2A6, CYP2C8, CYP2C19, CYP3A4, CYP1A2, CYP2C9 e CYP2E1). As características mais vantajosas da bilastina relacionam-se com seu perfil farmacocinético, assim como com a tolerância e os dados de segurança. A bilastina é rapidamente absorvida; seu efeito tem início aproximadamente 30 minutos após a administração. Sua Tmáx varia na faixa 1-1,5 horas. A ausência de metabolismo hepático contribui para seu favorável perfil farmacocinético. Foi registrado um número significativamente menor de efeitos adversos com bilastina em comparação com a cetirizina, particularmente no que se refere aos efeitos relacionados ao SNC, como sonolência, fadiga e cefaleia. Pode ser de interesse a ausência de interação com o álcool, em doses duas vezes superior à terapêutica. É requisito essencial para os anti-histamínicos H1 um perfil de segurança cardiovascular favorável; neste sentido, a bilastina tem perfil de segurança cardiovascular apropriado.

Indicações.

Tratamento dos sintomas da rinoconjutivite alérgica. Tratamento dos sintomas da urticária.

Posologia.

20 mg para administração oral uma vez ao dia.

Medicamentos que tem Bilastina