TECNOVORIN

ZODIAC

Comprimidos

leucovorina cálcica

Antineoplásico. Recalcificante.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO.

Apresentações.

15mg. Embalagem com 10 comprimidos.

Composição.

Cada comprimido contém: Leucovorina (equivalente a 16,2mg de leucovorina cálcica) 15mg. Excipientes: Ludipress® (lactose monoidratada, povidona e crospovidona), croscarmelose sódica, dióxido de silício e estearato de magnésio.

Informações ao paciente.

Ação esperada do medicamento: prevenção dos efeitos tóxicos causados por antagonistas do ácido fólico e tratamento de anemias megaloblásticas por deficiência de folatos. Cuidados de armazenamento: conservar o produto na embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C). Proteger da luz e umidade. Prazo de validade: 24 meses. Vide embalagem externa. ATENÇÃO: não utilize o produto fora do prazo de validade sob risco de não produzir os efeitos desejados. Gravidez e lactação: informe seu médico a ocorrência de gravidez durante o tratamento ou após seu término. Informar ao médico se está amamentando. Cuidados de administração: siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Interrupção do tratamento: não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Reações adversas: informe seu médico caso ocorram reações desagradáveis. Podem ocorrer reações alérgicas, erupção cutânea, ardência e prurido. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. Contra-indicações e precauções: este medicamento não está recomendado para o tratamento de anemia perniciosa ou outras anemias secundárias a carência de vitamina B12. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.

Informações técnicas.

TECNOVORIN (Leucovorina cálcica/folinato de cálcio) é o derivado 5-formil do ácido tetrahidrofólico, forma ativa do ácido fólico. O ácido folínico é usado principalmente como um antídoto dos antagonistas do ácido fólico, tais como metotrexato, que bloqueiam a conversão do ácido fólico a tetrahidrofolato por ligação à enzima dihidrofolato redutase. O ácido folínico é rapidamente convertido a N5-metil-FH4, o folato fisiológico, normalmente existente no plasma. Esta conversão é mais rápida se o ácido folínico for administrado por via oral que após a administração parenteral. TECNOVORIN comprimidos permite que a administração oral atue em conjunto ou em substituição à terapêutica parenteral.

Indicações.

TECNOVORIN está indicado como antídoto dos efeitos tóxicos dos antagonistas do ácido fólico tais como metotrexato, pirimetamina ou trimetoprima; para prevenir a toxicidade severa devido a superdose de metotrexato e como parte dos programas de tratamento quimioterapêutico no cuidado de várias formas de câncer. TECNOVORIN também está indicado para o tratamento das anemias megaloblásticas por deficiência de folatos.

Contraindicações.

tecnovorin não é recomendado para o tratamento da anemia perniciosa ou outras anemias megaloblásticas secundárias à carência de vitamina b12, pois pode produzir uma remissão hematológica enquanto continuam progredindo as manifestações neurológicas.

Precauções.

TECNOVORIN não deve ser empregado simultaneamente com um antagonista do ácido fólico com o objetivo de modificar ou abortar a toxicidade clínica, pois o efeito terapêutico do antagonista pode ser anulado. gravidez/reprodução: não foram realizados estudos em animais ou em humanos; assim há que se considerar o risco/benefício (fda, gravidez categoria c). entretanto, é recomendável o uso de leucovorina para o tratamento da anemia megaloblástica produzida pela gravidez. amamentação: uma vez que se desconhece se a leucovorina é excretada no leite materno e não se tem documentado problemas em seres humanos, deve-se considerar o risco/benefício. pediatria: a leucovorina pode aumentar a freqüência de convulsões em crianças sensíveis. problemas médicos: este medicamento não deve ser usado como único agente antianêmico quando existirem os seguintes problemas médicos: 1. "anemia perniciosa" ou "deficiência de vitamina b12", pode produzir remissão hematológica enquanto continuam a progredir as manifestações neurológicas. 2. na presença de acidúria (pH urinário inferior a 7), ascite, desidratação, obstrução gastrintestinal, derrame pleural ou peritoneal conseqüentes aos efeitos do metotrexato, a leucovorina deve ser utilizada com cautela. 3. insuficiência renal: o risco de toxicidade por metotrexato encontra-se aumentado porque a eliminação do metotrexato poderá ser insuficiente e po-derá ocorrer acumulação; ainda assim, doses pequenas de metotrexato podem levar a severa mielodepressão e mucosite; doses maiores e/ou o aumento da duração do tratamento com leucovorina podem ser necessários. 4. náuseas e vômitos: a absorção da leucovorina poderá ser insuficiente. recomenda-se a administração parenteral. a hidratação inadequada, que acompanha as náuseas severas e vômitos, também pode resultar em aumento de toxicidade por metotrexato. controle dos pacientes: para os pacientes que recebem metotrexato em altas doses: "determinações do clearance da creatinina"(recomenda-se antes do início do metotrexato em altas doses, como terapêutica de socorro de TECNOVORIN); determinações de metotrexato no plasma ou no soro (recomendadas por alguns clínicos a cada 12 ou 24 horas após a administração de metotrexato em altas doses para determinar a dose e a duração do tratamento com TECNOVORIN necessário para manter o resgate. pode auxiliar na identificação de pacientes com clearance de metotrexato retardado. a toxicidade parece estar relacionada tanto com o tempo durante o qual as concentrações de metotrexato estão elevadas como relacionada com as concentrações-pico obtidas. em geral o controle deverá continuar até que as concentrações sejam menores que 5 por 10-8 M). "determinações de creatinina no soro"(recomendadas antes e a cada 24 horas após cada dose de metotrexato para descobrir o desenvolvimento de insuficiência da função renal e para predizer a toxicidade do metotrexato. Um aumento superior a 50% com relação à concentração de pré-tratamento nas 24 horas está associado com severa toxicidade renal); "determinações do pH urinário" (recomenda-se previamente a cada dose da terapêutica de metotrexato em altas doses e próximo a cada 6 horas através do resgate com tecnovorin para garantir que o pH continue superior a 7, reduzindo ao mínimo o risco de nefropatia por metotrexato).

Interações medicamentosas.

O ácido folínico em grandes quantidades pode contrapor o efeito antiepilético do fenobarbital, fenitoína e primidona e aumentar a freqüência das convulsões em crianças sensíveis.

Posologia e modo de usar.

Como antídoto para os antagonistas do ácido fólico: a posologia de TECNOVORIN é variável, pois está na dependência da dose de metotrexato. Indica-se 1 comprimido de 15mg a cada 6 horas durante 48 horas. Após a infusão de metotrexato, a terapêutica de proteção com TECNOVORIN é usualmente iniciada até 24 horas após o começo do metotrexato. Os pacientes que recebem TECNOVORIN "como um resgate" dos efeitos tóxicos de metotrexato, devem estar sob supervisão de um médico experiente na terapêutica com metotrexato em altas doses. A administração parenteral de TECNOVORIN é recomendada caso seja evidenciado que a absorção é insuficiente devido a náuseas e/ou vômitos. A administração de metotrexato não deve iniciar-se a menos que o clearance da creatinina e as concentrações de creatinina no soro sejam normais. A administração de metotrexato em altas doses não deverá ser iniciada a menos que TECNOVORIN esteja fisicamente presente, já que o resgate é crítico. Empregou-se uma variedade de programas de dosificação de leucovorina em combinação com metotrexato em altas doses. Uma vez que este regime encontra-se ainda sob investigação, o médico que prescreve deve consultar a literatura científica ao escolher uma dose específica. A alcalinização da urina (com bicarbonato ou acetazolamida) e hidratação venosa (3.000 mL/m2 de superfície corporal/dia) também são importantes para prevenir a toxicidade renal determinada pelo metotrexato. A administração de TECNOVORIN deverá ser preferencialmente consecutiva e não simultânea com a administração de metotrexato. Todavia, leucovorina tem sido administrada de forma simultânea com pirimetamina e trimetoprima em doses orais ou intramusculares entre 0,4 a 5mg para prevenir a anemia megaloblástica decorrente de altas doses destes fármacos. Geralmente recomenda-se que a primeira dose de TECNOVORIN seja administrada ao final das primeiras 24 a 42 horas após iniciada uma infusão de metotrexato em altas doses (decorridos 60 minutos após uma superdose), em uma dose capaz de produzir concentrações sangüíneas iguais ou superiores às concentrações de metotrexato no sangue (leucovorina em uma dose de 15 a 25mg por m2 de superfície corporal produz concentrações plasmáticas padrão de aproximadamente 1 mol ou 1x10-6 M). A duração da administração de TECNOVORIN varia com a dose de metotrexato e as concentrações plasmáticas alcançadas (incluindo a velocidade de eliminação); geralmente a administração de TECNOVORIN é mantida até que as concentrações de metotrexato atinjam valores inferiores a 5 x 10-8 M. Uma dose maior e/ou uma maior duração de tratamento com TECNOVORIN poderá ser necessária nos pacientes com acidúria, ascite, desidratação, obstrução gastrintestinal, insuficiência da função renal ou derrames pleurais ou peritoneais, tendo em vista que a excreção de metotrexato encontra-se retardada e aumenta o tempo para que as concentrações plasmáticas de metotrexato reduzam-se a níveis não tóxicos (menores do que 5 x 10-8M). Recomenda-se que a duração da administração de TECNOVORIN nestes pacientes esteja baseada na determinação das concentrações plasmáticas de metotrexato. TECNOVORIN é um antídoto específico para toxicidade hematopoiética do metotrexato e outros potentes inibidores da enzima dihidrofolato redutase. O resgate com TECNOVORIN da terapêutica com metotrexato em altas doses inicia-se habitualmente no término das 24 horas de sua administração. Um programa de dose de resgate convencional de TECNOVORIN é de 10mg/m2 oral ou parenteral seguido de 10mg/m2 oral cada 6 horas durante 72 horas. Todavia, se nas 24 horas após a administração de metotrexato a creatinina no soro for de 50% ou superior ou mais do que a creatinina sérica pré-metotrexato, a dose de TECNOVORIN deverá ser aumentada de imediato de 100mg/m2 cada 3 horas até que o nível de metotrexato sérico atinja valores inferiores a 5 x 10-8M. A dose recomendada de TECNOVORIN para contrapor a toxicidade hematológica, devido aos antagonistas do ácido fólico com menor afinidade para a hidrofolato redutase de mamíferos do que o metotrexato, é substancialmente menor e são recomendados 5 a 15mg de TECNOVORIN/dia, por alguns investigadores. No tratamento de anemias megaloblásticas: indica-se 1 comprimido de 15mg diariamente.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
Reg. MS-1.2214.0008.

Reações adversas.

TECNOVORIN é muito bem tolerado, somente tendo sido descrito efeitos secundários relacionados a reação alérgica ao produto como erupção cutânea ou ardência e prurido.

TECNOVORIN

ZODIAC

Pó liófilo injetável

folínico, ácido

Antineoplásico. Recalcificante.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO.

Apresentações.

Pó liófilo injetável. 50mg. Caixa com 1 frasco-ampola + 1 ampola diluente.

Composição.

Cada frasco-ampola contém: Leucovorina (equivalente a 54mg de leucovorina cálcica) 50mg.Cada ampola diluente contém: Água para injetável 5mL.

Informações ao paciente.

Conservar o produto em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C). Proteger da luz e umidade. Prazo de validade: 24 meses, vide cartucho. Atenção: não utilize o produto fora do prazo de validade sob risco de não produzir os efeitos desejados. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.

Informações técnicas.

TECNOVORIN (Leucovorina cálcica/folinato de cálcio), é o derivado 5-formil do ácido tetrahidrofólico, forma ativa do ácido fólico. O ácido folínico é usado principalmente como um antídoto dos antagonistas do ácido fólico, tal como metotrexato, que bloqueiam a conversão do ácido fólico a tetrahidrofolato por ligação à enzima dihidrofolato redutase.

Indicações.

TECNOVORIN está indicado como antídoto dos efeitos tóxicos dos antagonistas do ácido fólico tais como metotrexato, pirimetamina ou trimetoprima; para prevenir a toxicidade severa devido à superdose de metotrexato e como parte dos programas de tratamento quimioterapêutico no cuidado de várias formas de câncer. TECNOVORIN também está indicado para o tratamento das anemias megaloblásticas devido ao espru, deficiência nutricional na gravidez e no lactente, quando o tratamento com ácido folínico oral não é recomendável.

Contraindicações.

TECNOVORIN não é recomendado para o tratamento da anemia perniciosa ou outras anemias megaloblásticas secundárias à carência de vitamina B12, pois pode produzir uma remissão hematológica enquanto continuam progredindo as manifestações neurológicas.

Precauções.

gravidez: não foram realizados estudos em animais ou em humanos. assim há que se considerar o risco/benefício (fda, gravidez categoria c). entretanto, é recomendável o uso de leucovorina para o tratamento da anemia megaloblástica produzida pela gravidez. lactação: uma vez que se desconhece se a leucovorina é excretada no leite materno e não se tem documentado problemas em seres humanos, deve-se considerar o risco/benefício. pediatria: a leucovorina pode aumentar a freqüência de convulsões em crianças sensíveis. problemas médicos: este medicamento não deve ser usado como único agente antianêmico quando existirem os seguintes problemas médicos: 1. "anemia perniciosa" ou "deficiência de vitamina B12": pode produzir remissão hematológica enquanto continuam a progredir as manifestações neurológicas. 2. esta medicação deve ser usada sob precaução como recurso contra os efeitos do metotrexato quando existem os seguintes sinais ou sintomas: acidúria (pH urinário inferior a 7), ascite, desidratação, obstrução gastrintestinal e derrame pleural ou peritoneal. 3. insuficiência renal: o risco de toxicidade por metotrexato encontra-se aumentado porque a eliminação do metotrexato poderá ser insuficiente e poderá ocorrer acumulação. ainda assim, doses pequenas de metotrexato podem levar a severa mielodepressão e mucosite; doses maiores e/ou o aumento da duração do tratamento com leucovorina podem ser necessários. 4. náuseas e vômitos: a absorção da leucovorina poderá ser insuficiente. recomenda-se a administração parenteral. a correção inadequada do estado de hidratação do paciente, que acompanha náuseas severas e vômitos, também pode resultar em aumento de toxicidade por metotrexato. controle dos pacientes: para os pacientes que recebem metotrexato em altas doses: "determinações" do clearance da creatinina (recomenda-se antes do início do metotrexato em altas doses, como terapêutica de socorro de TECNOVORIN); "determinações de metotrexato no plasma ou no soro" (recomendadas por alguns clínicos a cada 12 ou 24 horas após a administração de metotrexato em altas doses para determinar a dose e a duração do tratamento com TECNOVORIN necessários para manter o resgate. pode auxiliar na identificação de pacientes com depuração de metotrexato retardado. a toxicidade parece estar relacionada tanto com o tempo durante o qual as concentrações de metotrexato estão elevadas como relacionada com as concentrações-pico obtidas. em geral o controle deverá continuar até que as concentrações sejam menores que 5 por 10-8 M). determinações de creatinina no "soro" (recomendadas antes e a cada 24 horas após cada dose de metotrexato para descobrir o desenvolvimento de insuficiência da função renal e para predizer a toxicidade do metotrexato). um aumento superior a 50% com relação à concentração de pré-tratamento nas 24 horas está associado à severa toxicidade renal); "determinações do pH urinário" (recomenda-se previamente a cada dose da terapêutica de metotrexato em altas doses e próximo a cada 6 horas através do resgate com TECNOVORIM para garantir que o pH continue superior a 7, reduzindo ao mínimo o risco de nefropatia por metotrexato).

Interações medicamentosas.

O ácido folínico em grandes quantidades pode contrapor o efeito antiepilético do fenobarbital, fenitoína e primidona e aumentar a freqüência das convulsões em crianças sensíveis.

Posologia e modo de usar.

Vias de administração: intramuscular ou endovenosa. Como antídoto para os antagonistas do ácido fólico: os pacientes que recebem TECNOVORIN "como um resgate" dos efeitos tóxicos do metotrexato, devem estar sob supervisão de um médico experiente na terapêutica com metotrexato em altas doses. A administração parenteral de TECNOVORIN é recomendada caso seja evidenciado que a absorção é insuficiente devido a náuseas e/ou vômitos. A administração do metotrexato não deve iniciar-se a menos que a depuração da creatinina e as concentrações de creatinina no soro sejam normais. A administração de metotrexato em altas doses não deverá ser iniciada a menos que TECNOVORIN esteja fisicamente presente, já que o resgate é crítico. Empregou-se uma variedade de programas de dosificação de leucovorina em combinação com metotrexato em altas doses. Uma vez que este regime encontra-se ainda sob investigação, o médico que o prescreve deve consultar a literatura científica ao escolher uma dose específica. A alcalinização da urina (com bicarbonato ou acetazolamida) e hidratação venosa (3.000 mL/m2 de superfície corporal/dia) também são importantes para prevenir a toxicidade renal determinada pelo metotrexato. A administração de TECNOVORIN deverá ser preferencialmente consecutiva e não simultânea com a administração de metotrexato. Todavia, leucovorina tem sido administrada de forma simultânea com pirimetamina e trimetoprima em doses orais ou intra-musculares entre 0,4 a 5mg para prevenir a anemia megaloblástica decorrente de altas doses destes fármacos. Geralmente, recomenda-se que a primeira dose de TECNOVORIN seja administrada ao final das primeiras 24 a 42 horas após iniciada uma infusão de metotrexato em altas doses (decorridos 60 minutos após uma superdose), em uma dose capaz de produzir concentrações sangüíneas iguais ou superiores às concentrações de metotrexato no sangue (leucovorina em uma dose de 15 a 25mg por m2 de superfície corporal produz concentrações plasmáticas padrão de aproximadamente 1 mol ou 1x10-6 M). A duração da administração de TECNOVORIN varia com a dose de metotrexato e as concentrações plasmáticas alcançadas (incluindo a velocidade de eliminação). A administração de TECNOVORIN é geralmente mantida até que as concentrações de metotrexato atinjam valores inferiores a 5x10-8M. Uma dose maior e/ou uma maior duração de tratamento com TECNOVORIN poderá ser necessária nos pacientes com acidúria, ascite, desidratação, obstrução gastrintestinal, insuficiência da função renal ou derrames pleurais ou peritoneais, tendo em vista que a excreção de metotrexato encontra-se retardada e aumenta o tempo para que as concentrações plasmáticas de metotrexato se reduzam a níveis não tóxicos (menores do que 5x 10-8M). Recomenda-se que a duração da administração de TECNOVORIN nestes pacientes esteja baseada na determinação das concentrações plasmáticas de metotrexato. A infusão endovenosa de TECNOVORIN não deve exceder a 160mg/minuto. TECNOVORIN é um antídoto específico para a toxicidade hematopoiética do metotrexato e outros potentes inibidores da enzima dihidrofolato redutase. O resgate com TECNOVORIN da terapêutica com metotrexato em altas doses inicia-se habitualmente no término das 24 horas de sua administração. Um programa de dose de resgate convencional de TECNOVORIN é de 10mg/m2 oral ou parenteral seguido de 10mg/m2 oral a cada 6 horas durante 72 horas. Todavia, se nas 24 horas após a administração de metotrexato a creatinina no soro for de 50% superior ou mais do que a creatinina sérica pré-metotrexato, a dose de TECNOVORIN deverá ser aumentada de imediato de 100mg/m2 a cada 3 horas até que o nível de metotrexato sérico atinja valores inferiores a 5x 10-8M. A dose recomendada de TECNOVORIN para contrapor a toxicidade hematológica, devido aos antagonistas do ácido fólico com menor afinidade para a hidrofolato redutase de mamíferos do que o metotrexato, é substancialmente menor e são recomendados 5 a 15mg de TECNOVORIN/dia, por alguns investigadores. Cada frasco com 50mg de TECNOVORIN pó liófilo, reconstituído com 5 mL de água para injetável, contém 10mg de leucovorina por mL como sal de cálcio, forma preferida para injeção intramuscular. Não contém álcool benzílico. Os ingredientes não ativos são: 4mg de cloreto de sódio/frasco-ampola e hidróxido de sódio q.s.p. pH 8,1. Quando reconstituído em água bacteriostática (com álcool benzílico), poderá ser utilizado em até 7 dias. Caso o produto seja reconstituído com água para injetável, recomenda-se usar imediatamente e descartar a porção não utilizada. Após a infusão do metotrexato, a terapêutica de proteção com a leucovorina cálcica é iniciada, usualmente, até 24 horas após o começo do metotrexato. Quando se suspeita de superdosagem de metotrexato, a dose de leucovorina cálcica deverá ser igual ou superior a dose de metotrexato, devendo ser administrada no período da primeira hora, se possível, a partir das manifestações tóxicas. No tratamento de anemias megaloblásticas por deficiência de folatos: a dose recomendada é de até 1mg, diariamente. Doses superiores a 1mg por dia não evidenciaram maior eficácia. O ácido fólico, particularmente em altas doses, pode corrigir a anemia megaloblástica pela deficiência de vitamina B12, sem alterar as anormalidades neurológicas; essas manifestações neurológicas podem ser agravadas pela terapêutica com ácido fólico. Dessa forma, o diagnóstico da causa da anemia megaloblástica deve ser estabelecido antes que se institua a terapêutica com ácido fólico.

Reações adversas.

TECNOVORIM é muito bem tolerado, tendo sido somente descritos efeitos secundários considerados como reação alérgica ao produto, tais como erupção cutânea ou ardência e prurido.

Superdose.

Doses excessivas de leucovorina podem anular o efeito quimioterápico dos antagonistas do ácido fólico.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
Reg. MS-1.2214.0008.

Princípios Ativos de Tecnovorin

Laboratório que produce Tecnovorin