FLORALON

MABRA

saccharomyces boulardii

Antidiarréico.

Apresentações.

Cápsula dura - 100 mg - Embalagem contendo 12 cápsulas
Cápsula dura - 200 mg - Embalagem contendo 6 cápsulas
Pó para preparação extemporânea - 200 mg - Embalagem contendo 4 envelopes com 1g de pó.
USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição.

Cada cápsula de FLORALON 100 mg contém: Saccharomyces boulardii - 17 liofilizado (100 mg de pó liofilizado contêm cerca de 2x109 células de Saccharomyces boular-dii-17) 100 mg. Excipientes q.s.p. 1 cápsula; (lactose monoidratada, dióxido de silício e estearato de magnésio).
Cada cápsula de FLORALON 200 mg contém: Saccharomyces boulardii - 17 liofilizado (200 mg de pó liofilizado contêm cerca de 4x109 células de Saccharomyces boular-dii-17) 200 mg. Excipientes q.s.p. 1 cápsula; (lactose monoidratada, dióxido de silício e estearato de magnésio).
Cada envelope de FLORALON 200 mg contém: Saccharomyces boulardii - 17 liofilizado (200 mg de pó liofilizado contêm cerca de 4x109 células de Saccharomyces boular-dii-17) 200 mg. Excipientes q.s.p. 1 envelope; (lactose monoidratada, dióxido de silício, estearato de magnésio, aroma de morango em pó, sacarina sódica).

Informações técnicas.

1. INDICAÇÕES
Este medicamento é destinado ao tratamento, como adjuvante, da diarreia produzida por Clostridium difficile, por antibioticoterapia ou quimioterapia e na restauração da flora intestinal fisiológica.

2. RESULTADOS DE EFICÁCIA
FLORALON
beneficia o desenvolvimento da flora intestinal fisiológica, impedindo a proliferação dos germes potencialmente nocivos ao tubo digestivo. Diversas propriedades do Saccharomyces boulardii - 17 contribuem para explicar o efeito terapêutico de FLORA-LON: Antagonismo microbiano: pode-se demonstrar in vitro que o Saccharomyces boulardii - 17 inibe o crescimento de diferentes agentes patogênicos, tais como: Proteus, Escherichia coli, Shigella, Salmonella, Pseudomonas, Staphylococcus e Candida albicans. Foi também demonstrada inibição in vivo do desenvolvimento desse último micro-organismo. Síntese de vitaminas do complexo B: produção de tiamina, riboflavina, ácido pantotênico, piridoxina e ácido nicotínico. Aumento da atividade enzimática: o tratamento oral de voluntários humanos e ratos com Saccharomyces boulardii -17, está relacionado com aumento acentuado na atividade das dissacaridases (sacarase, lactase e maltase). A ação do Saccharomyces boulardii - 17 nas alterações infecciosas da flora intestinal, ao que tudo indica, está associada ao seu efeito antagônico direto, à estimulação do antagonismo biológico das bactérias coli não patogênicas e às proprieda-des metabólicas do levedo que, administrados em concentrações elevadas, impede o desenvolvimento de populações bacterianas anormalmente proliferadas, restabelecendo o equilíbrio da flora intestinal. Essa ação antagônica do Saccharomyces boulardii - 17 sobre micro-organismos patogênicos, como o Clostridium difficile, pode explicar, ainda, sua ação sobre a diarreia que surge em decorrência da antibioticoterapia.

3. CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS
FLORALON
é um preparado biológico cujo princípio ativo é o levedo Saccharomyces boulardii -17, que foi isolado de frutas silvestres tropicais. É um micro-organismo vivo, resistente à ação dos sucos gástricos, entérico e pancreático, assim como à da bile, antibióticos e quimioterápicos.

4. CONTRAINDICAÇÕES
Não são conhecidas, até o momento, condições que contraindiquem o uso de FLORALON, excetuando eventuais hipersensibilidades aos excipientes.
Atenção diabéticos: contém açúcar. (FLORALON 200mg pó).
Este medicamento contém lactose e portanto pode conter traços de outros compostos derivados do leite.
Este medicamento pode ser utilizado durante a gravidez desde que sob prescrição médica ou do cirurgião-dentista.

5. ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES
Por ser produto não absorvido, portanto desprovido de ações sistêmicas, desconhecem-se restrições ao uso de FLORALON, que pode ser empregado também em gestantes, mulheres que estejam amamentando e lactentes. O produto não pode ser ingerido juntamente com bebidas alcoólicas.
Atenção diabéticos: contém açúcar. (FLORALON 200mg pó).
Este medicamento contém lactose e portanto pode conter traços de outros compostos derivados do leite.
Este medicamento pode ser utilizado durante a gravidez desde que sob prescrição médica ou do cirurgião-dentista.

6. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
Uma vez que seu princípio ativo é um levedo Saccharomyces boulardii - 17, FLORALON não deve ser administrado juntamente com agentes fungicidas e fungistáticos, como os poliênicos e os derivados do imidazol, que poderiam inativá-los, reduzindo ou anulando seu efeito terapêutico.

7. CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO
As embalagens de FLORALON devem ser conservadas em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C), protegidas da umidade. Os envelopes de FLORALON só devem ser abertos no momento de sua utilização. Não se deve guardar envelopes abertos para usar mais tarde. FLORALON possui prazo de validade de 24 meses a partir da data de fabricação, desde que observados os cuidados de armazenamento.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
FLORALON
cápsula 100 mg se apresenta na forma de cápsula dura de coloração branca, contendo pó de coloração bege.
FLORALON cápsula 200 mg se apresenta na forma de cápsula dura de coloração azul e branca, contendo pó de coloração bege.
FLORALON pó 200 mg se apresenta na forma de pó oral, contido em envelope, de coloração bege e sabor morango.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

8.
POSOLOGIA E MODO DE USAR
FLORALON 100 mg cápsula:
Nas alterações agudas da flora intestinal e na diarreia por Clostridium difficile: 2 cápsulas, duas vezes ao dia.
Nas alterações crônicas da flora intestinal: 1 cápsula, duas vezes ao dia.
FLORALON 200 mg cápsula:
Nas alterações agudas da flora intestinal e na diarreia por Clostridium difficile 1 cápsula, duas vezes ao dia. Nas alterações crônicas da flora intestinal: 1 cápsula, uma vez ao dia.
As cápsulas devem ser ingeridas inteiras, sem mastigar, com um pouco de líquido. Em caso de necessidade (crianças ou pacientes com dificuldades de engolir), recomenda-se abrir as cápsulas e misturar seu conteúdo a mamadeiras, pequenas quantidades de líquidos ou alimentos semissólidos. Não adicionar o produto a líquidos ou alimentos quentes (acima de 60°C) ou gelados, assim como a bebidas alcoólicas.
FLORALON 200 mg envelope:
Nas alterações agudas da flora intestinal e na diarreia por Clostridium difficile: 1 envelope, duas vezes ao dia.
Nas alterações crônicas da flora intestinal: 1 envelope, uma vez ao dia.
O conteúdo do envelope deve ser dissolvido em 100 mL (um copo) de água, agitar até a total homogeneização. Beber imediatamente após o preparo. Para crianças pequenas, recomenda-se adicionar o conteúdo do envelope à mamadeiras, pequenas quantidades de líquidos ou alimentos semissólidos. Não adicionar o produto a líquidos ou alimentos quentes (temperatura acima de 60°C) ou gelados, assim como a bebidas alcoólicas.
Tanto as cápsulas, quanto o conteúdo dos envelopes devem ser administrados em jejum ou meia hora antes das refeições. No caso de pacientes sob tratamento com antibióticos e quimioterápicos, administrar FLORALON um pouco antes desses medicamentos. Após a abertura das cápsulas ou envelopes, FLORALON deve ser imediatamente ingerido, pois o contato com o ar e a umidade alteram o prazo de validade do produto.
A posologia de FLORALON pode ser alterada a critério médico. Na maioria dos casos, são suficientes dois a três dias de tratamento. Se os sintomas persistirem após cinco dias, deve-se rever o diagnóstico e modificar a terapia.
Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

9. REAÇÕES ADVERSAS
Não são conhecidos, até o presente, relatos de reações desagradáveis decorrentes do uso de FLORALON. Em algumas crianças ou lactentes, pode-se observar cheiro de fermento nas fezes, sem qualquer significado nocivo.
Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

10.
SUPERDOSE
Em estudos de toxicologia animal, não foi possível a determinação da DL50, mesmo empregando-se doses muito superiores às indicadas para o homem.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Dizeres legais.

Reg. MS: 1.7794.0027
SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR. NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.
Está bula foi aprovada pela Anvisa em 23/08/2018.

Princípios Ativos de Floralon

Patologias de Floralon

Laboratório que produce Floralon