CONVIVANCE

SANOFI MEDLEY

diosmina + hesperidina

Antivaricoso.

Apresentações.

Comprimidos de 500 mg: embalagens com 30 ou 60 comprimidos. Comprimidos de 1000 mg: embalagens com 30 ou 60 comprimidos.
USO ORAL
USO ADULTO

Composição.

Contém 30 ou 60 comprimidos revestidos. Cada comprimido de 500 mg contém: diosmina 450,00 mg, flavonóides expressos em hesperidina 50,00 mg, excipientes q.s.p. 1 comprimido revestido.
Celulose microcristalina, gelatina, amidoglicolato de sódio, laurilsulfato de sódio, dióxido de silício, talco, estearato de magnésio, álcool polivinílico, dióxido de titânio, macrogol, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro amarelo.
Cada comprimido de 1000 mg contém: diosmina 900,00 mg, flavonóides expressos em hesperidina 100,00 mg, excipientes q.s.p. 1 comprimido revestido.
Celulose microcristalina, gelatina, amidoglicolato de sódio, laurilsulfato de sódio, dióxido de silício, talco, estearato de magnésio, álcool polivinílico, dióxido de titânio, macrogol, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro amarelo.

Informações técnicas.

1. INDICAÇÕES
- Tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica, funcional e orgânica, dos membros inferiores.
- Tratamento dos sintomas funcionais relacionados à insuficiência venosa do plexo hemorroidário.
- Alívio dos sinais e sintomas pré e pós operatórios de safenectomia.
- Alívio dos sinais e sintomas pós-operatórios de hemorroidectomia.
- Alívio da dor pélvica crônica associada à Síndrome da Congestão Pélvica.

2. RESULTADOS DE EFICÁCIA
Farmacologia clínica:
- Os estudos controlados duplo-cegos, utilizando métodos que permitem objetivar e quantificar a atividade de diosmina + hesperidina sobre a hemodinâmica venosa, confirmaram as propriedades farmacológicas deste medicamento em humanos.
Referência Bibliográfica: Barbe, R.; Amiel, M.: Pharmacodynamic properties na therapeutic efficacy of Daflon. Phlebology 1992; 7: (suppl. 2): 41-44.
- Relação dose-efeito: a existência de relações dose-efeito, estatisticamente significativas, baseia-se nos parâmetros pletismográficos venosos: capacitância, distensibilidade e tempo de escoamento. A melhor relação dose-efeito é obtida com a posologia de 2 comprimidos ao dia (1000mg/dia).
Referência Bibliográfica: Behar et al: Study of capillary filtration by double labelling I131-albumin and Tc99m red cells. Application to the pharmacodynamics activity of Daflon 500 mg. Int Angiol. 1988; 7 (suppl. 2): 35-38.
- Atividade venotônica: diosmina + hesperidina aumenta o tônus venoso. A pletismografia de oclusão venosa por manguito de compressão de mercúrio evidencia uma diminuição dos tempos de escoamento venoso.
Referência Bibliográfica: Ibebugna, Y et al: Venous elasticity after treatment with Daflon 500 mg. Angiology 1997; 48 (1):45-49
- Atividade microcirculatória: os estudos duplo-cegos realizados mostraram uma diferença estatisticamente significativa entre o medicamento e o placebo. Nos pacientes que apresentam sinais de fragilidade capilar, diosmina + hesperidina aumenta a resistência capilar medida por angioesterometria.
Referência Bibliográfica: Galley, P. et al: A double blind, placebo-controlled trial of a new venous-active flavonoid fraction (S 5682) in the treatment of symptomatic capillary fragility. Int. Angiol. 1993; 12 (1): 69-72.
- Atividade anti-inflamatória endotelial: estudos realizados em células, em modelos animais e estudos clínicos comprovaram a ação de diosmina + hesperidina na inibição da expressão de moléculas de adesão intracelular responsáveis pelo processo de inflamação endotelial, inibindo a adesão e/ou a migração leucocitária, bem como da síntese de mediadores inflamatórios como PGE2 e tromboxano.
Referência Bibliográfica: Pascarella L. Current Pharmaceutical Design. 2007;13:431-444
Prática clínica:
Estudos controlados duplo-cegos com placebo demonstraram a atividade de diosmina + hesperidina na flebologia, no tratamento da insuficiência venosa crónica dos membros inferiores (tanto funcionais como orgânicos).
Estudos clínicos:
Eficácia no tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica, orgânica e funcional dos membros inferiore
s: os estudos clínicos duplo-cegos realizados contra placebo colocam em evidência a atividade terapêutica de diosmina + hesperidina na dose diária de 1000mg em flebologia, no tratamento da insuficiência venosa crônica, funcional e orgânica dos membros inferiores.
Em estudo duplo-cego placebo controlado incluindo 160 pacientes (134 mulheres e 26 homens), a eficácia de diosmina + hesperidina na dose diária de 1000mg por dois meses, foi dirigida aos sintomas (desconforto, peso, dor,cãimbras noturnas, sensação de inchaço, vermelhidão/cianose, calor/queimação, sinais clínicos (condição da pele, distúrbios tróficos) e edema de perna. Desde o primeiro mês e continuamente até o final do segundo mês, a intensidade máxima dos sintomas foi significativamente reduzida no grupo tratado com diosmina + hesperidina comparado ao grupo placebo (Gilly, 1994).
Referência Bibliográfica: Gilly R, Pillion G, Frileux C. Evaluation of a new vasoactive micronized flavonoid fraction (S 5682) in symptomatic disturbances of the venolymphatic circulation of the lower limb: a doubleblind, placebo-controlled study. Phlebology 1994; 9:67-70.
Um estudo multicêntrico internacional envolvendo 5052 pacientes com duração de 2 anos, com pacientes sintomáticos para insuficência venosa crônica (C0s - C4 - Classificação Clínica CEAP) com ou sem refluxo venoso, divididos em grupos, placebo e grupo de tratamento ativo. O tratamento ativo consistiu na administração de diosmina + hesperidina na dose diária de 1000mg. Durante o tratamento com diosmina + hesperidinatodos os sintomas (dor, peso nas pernas, formigamento e cãimbras) apresentaram uma forte melhora, sobretudo no grupo com refluxo venoso, em comparação ao outro grupo. A avaliação do índice de Qualidade de Vida foi significativamente melhorada independente do grupo, com ou sem refluxo venoso. A melhora significativa e progressiva dos sinais de insuficiência venosa crônica se refletiu em alterações significativas na classificação CEAP, i.e., de estágios mais severos para estágios mais leves. A melhora clínica contínua acompanhou o período de tratamento durante 6 meses, com melhora progressiva também dos índices de qualidade de vida de todos os pacientes.
Referências Bibliográficas: Jantet, G; et al: Cronic venous insuffiency: Worldwide results of the RELIEF study. Angiology 2000; 51 (1): 31-37.
Em estudo aberto, multicêntrico, controlado, randomizado, 140 pacientes portadores de insuficiência venosacrônica e úlcera de perna foram divididos em dois grupos, tratamento de compressão associado a medicamento tópico; e este tratamento associado à diosmina + hesperidina na dose diária de 1000mg por 24 semanas. O percentual de pacientes com úlcera de perna cicatrizada ao término do período de tratamento foi definitivamente maior no grupo tratado com diosmina + hesperidina.
Referências Bibliográficas: Glinski, W: The beneficial augmentative effect of micronised purified flavonoid fraction (MPFF) on the healing of leg ulcers: An open, multicentre, controlled, randomised study. Phlebology 1999; 14 (4):151-157
Eficácia no tratamento dos sintomas funcionais relacionados a insuficiência do plexo hemorroidário:
Em um estudo randomizado, duplo-cego, placebo controlado, 90 pacientes (49 no grupo diosmina + hesperidina e 41 no grupo placebo) com crise hemorroidária aguda foram tratados durante 7 dias no seguinte esquema: 3000 mg de diosmina + hesperidina diariamente durante os primeiros 4 dias e, em seguida, 2000 mg de diosmina + hesperidina diariamente durante 3 dias (Jiang, 2006). Os critérios de eficácia foram avaliados conforme evolução dos sinais e sintomas (dor e edema, os mais frequentemente reportados), sangramento, tenesmo, prurido, secreção de muco, e prolapso. A eficácia do tratamento em D4 foi significativamente melhor no grupo tratado com diosmina + hesperidina, com melhora da dor (p = 0,01) e do sangramento (p = 0,01). Estes resultados foram ainda mais pronunciados em D7, com uma melhora significativa nos seguintes parâmetros: dor (p < 0,001), edema (p = 0,01), sangramento (p = 0,02), e tenesmo (p = 0,02). A eficácia global do tratamento avaliada pelo paciente foi considerada como muito boa ou boa em 75.6% dos pacientes no grupo tratado com diosmina + hesperidina versus 39% dos pacientes no grupo placebo (p = 0.007). A avaliação dos investigadores alcançou uma eficácia muito boa ou boa em 75.5% dos pacientes no grupo de diosmina + hesperidina versus 39% no grupo placebo (p = 0,006).
Referência bibliográfica: Jiang ZM, Cao JD. The impact of micronized purified flavonoid fraction on the treatment of acute haemorrhoidal epidoses. Current Medical Research and Opinion 2006;22.
Eficácia no alívio dos sinais e sintomas pós operatórios de safenectomia
Estudo aberto, multicêntrico, prospectivo e randomizado, com 181 pacientes com indicação cirúrgica para a retirada da veia safena (safenectomia) foram divididos em dois grupos, grupo tratado com diosmina + hesperidina na dose diária de 1000mg no período pré e pós operatório de safenectomia e grupo controle (pacientes não tratados com diosmina + hesperidina). Os pacientes tratados com diosmina + hesperidina obtiveram uma maior redução da intensidade da dor e menor consumo de analgésicos no período pós operatório, além de uma redução do tamanho dos hematomas e melhora dos sintomas associados à doença venosa crônica (diminuição do edema, cãibras, fadiga dos membros inferiores e sensação de pernas pesadas).
Referências Bibliográficas: Veverková L. et al. Analysis of the various procedures used in great saphenous vein surgery in the Czech Repubublic and benefit of Daflon 500mg to postoperative symptoms.Phlebolymphology 2006; 13: 193-199.
Estudo aberto, multicêntrico, não randomizado, envolvendo 245 pacientes com indicação cirúrgica para a extirpação da veia safena (safenectomia) foram divididos em dois grupos, grupo tratado com diosmina + hesperidina na dose diária de 1000mg no período pré e pós operatório de safenectomia e grupo controle (pacientes não tratados com diosmina + hesperidina). Os pacientes tratados com diosmina + hesperidina no período pré e pós operatório de safenectomia obtiveram uma redução da intensidade da dor pós operatória, redução dos hematomas pós operatórios, aceleração da reabsorção dos hematomas e aumento da tolerância ao exercício no período pós operatório.
Referências Bibliográficas: Pokrovsky A.V et al. Stripping of the great saphenous vein under micronized purified flavonoid under micronized purified flavonoid fracton (MPFF) protection (results of the Russian multicenter controlled trial DEFANCE). Phlebolymphology 2008; 15(2): 45-51.
Eficácia no alívio da dor pélvica crônica associada à Síndrome de Congestão Pélvica
Revisão de estudos clínicos (estudo clínico duplo-cego, randomizado e cruzado, envolvendo 10 mulheres com diagnóstico de Síndrome Pélvica Congestiva e estudo clínico envolvendo 20 mulheres com diagnóstico de Síndrome Pélvica Congestiva) demostrou que pacientes tratadas com diosmina + hesperidina na dose diária de 1000mg apresentaram melhora na frequência e gravidade da dor pélvica, a partir do segundo mês de tratamento com diosmina + hesperidina quando comparadas com pacientes tratadas com placebo (vitaminas).
Referências Bibliográficas: Burak F. et al. Chronic pelvic pain associated with pelvic congestion syndrome and the benefit of Daflon 500 mg: a review. Phlebolymphology 2009; 16(3): 290-294.
Eficácia no alívio dos sinais e sintomas pós-operatórios de hemorroidectomia
Estudo clínico prospectivo e randomizado, envolvendo 112 pacientes enquadrados no terceiro ou quarto estágio de sintomas provenientes da patologia de hemorroidas e com indicação cirúrgica para a retirada da veia hemorroidal, foram randomizados em dois grupos (grupo tratamento e grupo controle). De acordo com os resultados obtidos, os pacientes tratados com diosmina + hesperidina 500 mg, apresentaram uma redução significativa no sintoma da dor pós-operatória do que os pacientes do grupo controle que não foram tratados com diosmina + hesperidina 500 mg. Além disso, pode-se ainda observar um menor consumo de analgésicos e um menor período de hospitalização no grupo tratado com diosmina + hesperidina 500 mg, conforme os resultados descritos no estudo.
Referências Bibliográficas: Colak T, et al. Micronized Flavonoids in pain control after hemorrhoidectomy: a prospective randomized controlled study. Surgery Today 2003; 33: 828-832.
Estudo clínico cego e randomizado, foi realizado envolvendo 86 pacientes com indicação para procedimento cirúrgico devido ao critério de inclusão: estágio III e IV do quadro patológico de hemorroidas. Os pacientes envolvidos no estudo foram randomizados em dois grupos (grupo tratamento e grupo controle) e os resultados obtidos demostraram que os pacientes tratados com diosmina + hesperidina 500 mg, apresentaram diminuição estatisticamente significativa dos seguintes sintomas: dor, sangramento, peso e prurido após a realização da cirurgia do que no grupo controle de pacientes que NÃO foram tratados com diosmina + hesperidina 500 mg,
Referências Bibliográficas: Ba-bai-ke-re M. A. et al. How we can improve patients' comfort after Milligan-Morgan open haemorrhoidectomy. World J Gastroenterol 2011; 17:1448-1456.
Dados de Segurança Pré-Clínicos
Dados pré-clínicos de estudos toxicológicos convencionais de toxicidade de dose repetida, função genotóxica e função reprodutiva não revelaram qualquer risco particular para humanos.
A administração oral aguda em camundongos, ratos e macacos de uma dose 180 vezes maior que a dose terapêutica em humanos não teve nenhum efeito tóxico ou letal e não causou nenhuma anormalidade comportamental, biológica, anatômica ou histológica. Estudos em ratos e coelhos não demonstraram nenhum efeito embriotóxico ou teratogênico. Não houve nenhuma alteração da fertilidade. Testes in-vitro e in-vivo não demonstraram nenhum potencial mutagênico.

3. CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS
Propriedades Farmacodinâmicas:
Venotônico e vasculoprotetor.
Farmacologia:
CONVIVANCE exerce uma ação sobre o sistema vascular de retorno da seguinte maneira:
- nas veias, diminui a distensibilidade venosa e reduz a estase venosa;
- na microcirculação, normaliza a permeabilidade capilar e reforça a resistência capilar;
- ao nível linfático: aumento da drenagem linfática por diminuir a pressão intra-linfática e aumentar o número de linfáticos funcionais, promovendo uma maior eliminação do líquido intersticial.
Efeitos Farmacodinâmicos:
- Relação dose-efeito:
A relação dose-efeito estatisticamente significativa foi comprovada para os seguintes parâmetros pletismográficos venosos: capacidade venosa, distensibilidade venosa e tempo de esvaziamento venoso. A faixa de dose-feito ideal é obtida com a dose diária de 1000mg de diosmina + hesperidina na forma de comprimidos revestidos (Amiel, 1987).
Tempo para atividade:
O tempo para início da ação é de 2 horas após uma administração única de 1000mg de diosmina + hesperidina comprimidos com significante diminuição (p < 0,001) para distensibilidade venosa e tempo de esvaziamento venoso quando comparado ao placebo (Amiel, 1985).
Propriedades Farmacocinéticas:
Em humanos, após administração oral da substância que contém 14C diosmina, verifica-se:
- rápida absorção pela mucosa digestiva;
- meia-vida de eliminação de 11 horas com excreção essencialmente fecal (80%) e urinária de aproximadamente 14%;
- forte metabolização que é evidenciada pela presença de diferentes fenóis ácidos na urina.

4. CONTRAINDICAÇÕES
CONVIVANCE não deve ser utilizado nos casos de hipersensibilidade previamente conhecida a substância ativa ou a qualquer um dos componentes da fórmula.
Este medicamento é contraindicado para o uso em crianças.

5.
ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES
ADVERTÊNCIAS:
Crise Hemorroidária Aguda:
A administração de CONVIVANCE para o tratamento sintomático de hemorroida aguda não substitui o tratamento específico de outros distúrbios anais e o seu uso deve ser feito por um curto tempo. Se os sintomas não desaparecerem rapidamente, deve-se proceder a um exame proctológico e o tratamento deve ser revisto.
Idosos:
A posologia para o uso de CONVIVANCE em idosos é a mesma utilizada para pacientes com menos de 65 anos.
Crianças:
CONVIVANCE não se destina ao uso em crianças e adolescentes (com idade inferior a 18 anos).
PRECAUÇÕES:
Gravidez:
Nenhum efeito teratogênico foi demonstrado em estudos experimentais em animais e nenhum evento adverso foi reportado em humanos.
Um estudo aberto realizado com 50 mulheres com gestação entre 8 semanas antes do parto e até após 4 semanas do parto sofrendo de crise hemorroidária registrou alívio dos sintomas agudos a partir do 4° dia de tratamento em 53,6% (95% CI - 70 -37.1. P < 0,001). O tratamento foi bem aceito e não afetou a gravidez, o desenvolvimento fetal, o peso do neonato, seu crescimento e amamentação materna.
Referência Bibliográfica: Buckshee et al: Micronized flavonoid therapy in internal hemorrhoids of pregnancy. International Journal of Gynecology and Obstetrics 57 (1997) 145 - 151.
Categoria B: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Lactação:
Em razão da ausência de dados extensos sobre a passagem deste medicamento para o leite materno, a amamentação não é recomendada durante o tratamento.
Fertilidade:
Estudos de toxicidade reprodutiva não mostraram efeito na fertilidade de ratos do sexo feminino e masculino.
Efeito na capacidade dirigir e operar máquinas:
Nenhum estudo sobre o efeito da fração flavonóica purificada micronizada (FFPM) na habilidade de dirigir e operar máquinas foi realizado. Contudo, baseado no perfil de segurança global da fração flavonóica purificada micronizada (FFPM), este medicamento não tem influência ou tem influência insignificante sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas.

6. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
Nenhum estudo de interação medicamentosa foi realizado com CONVIVANCE. Entretanto, levando-se em consideração a extensa experiência pós comercialização do produto, nenhuma interação medicamentosa foi reportada até o momento.

7. CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO
Os comprimidos devem ser mantidos na embalagem original, conservados em temperatura ambiente (15° a 30°C).
Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Guarde-o em sua embalagem original.
Características físicas e organolépticas:
comprimidos revestidos de cor ocre, formato oblongo e biconvexos.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

8. POSOLOGIA E MODO DE USAR
Este medicamento deve ser utilizado por via oral.
Na doença venosa crônica, a posologia usual é:
CONVIVANCE 500 mg: 2 comprimidos ao dia, sendo um pela manhã e outro à noite;
CONVIVANCE 1000 mg: 1 comprimido ao dia, preferencialmente pela manhã.
Os comprimidos devem ser administrados preferencialmente durante as refeições, por pelo menos 6 meses ou de acordo com a prescrição médica.
Na crise hemorroidária aguda, a posologia usual é:
CONVIVANCE 500 mg: 6 comprimidos ao dia (2 comprimidos, 3 vezes ao dia - manhã, tarde e noite) durante os quatro primeiros dias e, em seguida, 4 comprimidos ao dia (2 comprimidos, 2 vezes ao dia - manhã e noite) durante três dias. E após, 2 comprimidos ao dia (sendo um pela manhã e outro à noite) por pelo menos 3 meses ou de acordo com a prescrição médica.
CONVIVANCE 1000 mg: 3 comprimidos ao dia (1 comprimido, 3 vezes ao dia - manhã, tarde e noite) durante os quatro primeiros dias e, em seguida, 2 comprimidos ao dia (1 comprimido, 2 vezes ao dia - manhã e noite) durante três dias. E após, 1 comprimido ao dia, preferencialmente pela manhã, por pelo menos 3 meses ou de acordo com a prescrição médica.
No período pré operatório de safenectomia, a posologia usual é:
CONVIVANCE 500 mg: 2 comprimidos ao dia, sendo um pela manhã e outro à noite;
CONVIVANCE 1000 mg: 1 comprimido ao dia, preferencialmente pela manhã.
Os comprimidos devem ser administrados durante 4 a 6 semanas ou de acordo com a prescrição médica.
No período pós operatório de safenectomia, a posologia usual é:
CONVIVANCE 500 mg: 2 comprimidos ao dia, sendo um pela manhã e outro à noite;
CONVIVANCE 1000 mg: 1 comprimido ao dia, preferencialmente pela manhã.
Os comprimidos devem ser administrados por pelo menos 4 semanas ou de acordo com a prescrição médica.
No período pós-operatório de hemorroidectomia, a posologia usual é:
CONVIVANCE 500 mg: 6 comprimidos ao dia (2 comprimidos, 3 vezes ao dia - manhã, tarde e noite) durante 3 dias e, em seguida, 4 comprimidos ao dia (2 comprimidos, 2 vezes ao dia - manhã e noite) durante 4 dias.
CONVIVANCE 1000 mg: 3 comprimidos ao dia (1 comprimidos, 3 vezes ao dia - manhã, tarde e noite) durante 3 dias e, em seguida, 2 comprimidos ao dia (1 comprimido, 2 vezes ao dia - manhã e noite) durante 4 dias;
Os comprimidos devem ser administrados por pelo menos 1 semana ou de acordo com a prescrição médica.
Na dor pélvica crônica, a posologia usual é:
CONVIVANCE 500 mg: 2 comprimidos ao dia, sendo um pela manhã e outro à noite;
CONVIVANCE 1000 mg: 1 comprimido ao dia, preferencialmente pela manhã.
Os comprimidos devem ser administrados por pelo menos 4 a 6 meses ou de acordo com a prescrição médica.
Os comprimidos de CONVIVANCE podem se dissolvidos em água antes de administrá-los, se assim os pacientes desejarem. Nesse caso, os comprimidos devem ser dissolvidos em um copo de água com quantidade suficiente para completa dissolução até que uma suspensão homogênea seja obtida.
Este medicamento não pode ser partido, aberto ou mastigado.

9.REAÇÕES ADVERSAS
Os seguintes eventos adversos foram reportados e estão classificados usando a seguintefrequência: muito comuns ( > 1/10), comuns ( > 1/100 e < 1/10), reação incomum ( > 1/1.000 e < 1/100), reação rara ( > 1/10.000 e < 1/1.000), reação muito rara ( < 1/10.000) e reações comfrequência desconhecida (não pode ser estimada pelos dados disponíveis).
Alterações no sistema nervoso
Raras ( > 1/10.000 e < 1/1.000): tontura, dor de cabeça, mal estar.
Alterações gastrointestinais
Comuns ( > 1/100 e < 1/10): diarreia, dispepsia, náuseas, vômitos.
Incomuns ( > 1/1.000 e < 1/100): colite
Frequência desconhecida (não pode ser estimada pelos dados disponíveis): dor abdominal.
Alterações na pele e no tecido subcutâneo
Raras ( > 1/10.000 e < 1/1.000): erupção, prurido e urticária.
Frequência desconhecida: edema de face isolada, lábios e pálpebras. Excepcionalmente edema de Quincke.
Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos a Medicamentos -VigiMed, disponível em http://portal.anvisa.gov.br/vigimed, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

10.SUPERDOSE
Nenhum caso de overdose com CONVIVANCE foi reportado até o momento.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Dizeres legais.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
MS - 1.8326.0404
Esta bula foi aprovada pela Anvisa em 29/10/2019.

Princípios Ativos de Convivance

Patologias de Convivance

Laboratório que produce Convivance