TORAGESIC

SIGMA PHARMA

trometamol cetorolaco

Analgésico. Antiinflamatório não-hormonal.

Apresentações.

Comprimidos sublinguais: caixas contendo 10 comprimidos de 10mg. Solução oral: frascos contendo 10 mL de solução oral (1 mL = 20 mg). Injetável 30mg/mL: caixas contendo 3 ampolas de 1 mL. Injetável: 60mg/2mL: caixas contendo 3 ampolas de 2 mL..

Composição.

Cetorolaco trometamol.

Indicações.

Toragesic® é um medicamento antiinflamatório não-hormonal, de potente ação analgésica, usado para tratamento no curto prazo da dor aguda moderada a severa.

Contraindicações.

História ou problema de ulceração péptica ou sangramento gastrintestinal; suspeita ou confirmação de sangramento cerebrovascular; diátese hemorrágica, incluindo distúrbios de coagulação; pacientes sob uso de anti-coagulantes, incluindo baixa dose de heparina (2500-5000 unidades a cada 12 horas); profilaxia na analgesia antes e durante a realização de cirurgias. Hipersensibilidade ao cetorolaco trometamol, a qualquer um dos ingredientes da fórmula ou a outros AINEs, em pacientes onde o ácido acetilsalicílico ou os inibidores da síntese de prostaglandinas induzam reações alérgicas (reações anafiláticas severas têm sido observadas em tais pacientes.

Advertências e precauções.

Os médicos devem estar cientes de que o alívio da dor para alguns pacientes pode não ocorrer em até 30 minutos após a administração sublingual ou oral. Uso em idosos: Pacientes com idade acima de 65 anos, comparados aos pacientes jovens, podem apresentar grande risco de eventos adversos. Os riscos relacionados à idade são comuns para todos os AINEs. Comparado a adultos jovens, o idoso apresenta uma meia-vida do cetorolaco trometamol aumentada no plasma e uma redução do clearance. A dose diária total de Toragesic® oral não deve exceder 40 mg. Efeitos gastrintestinais: Toragesic® pode causar irritação gastrintestinal, úlceras ou sangramentos em pacientes com ou sem história de sintomas prévios, como todo AINE. Efeitos respiratórios: broncoespasmo pode ser precipitado em pacientes com história de asma. Efeitos renais: drogas que inibam a biossíntese de prostaglandinas (incluindo AINEs), apresentaram relatos de nefrotoxicidade, incluindo nefrite glomerular, nefrite intersticial, necrose papilar renal, síndrome nefrótica e parada renal aguda. Deve-se ter cuidado em pacientes com falência renal ou hepática, uma vez que a utilização dos AINEs pode resultar em uma deterioração da função renal.

Interações medicamentosas.

O uso concomitante com outros AINEs pode aumentar o risco de efeitos adversos; Adrenocorticóides, glicocorticóides: pode aumentar o risco de efeitos adversos gastrintestinais; Cumarínicos, indandiônicos, heparina e medicamentos trombolíticos (alteplase, anistrelase, estreptoquinase, uroquinase): podem ser perigosos devido à inibição plaquetária exercida pelos AINEs e também devido ao aumento do risco de ulcerações e hemorragias gastrintestinais; Medicamentos inibidores plaquetários: aumentam o risco de hemorragia devido ao efeito aditivo na inibição da agregação plaquetária; Cefamandol, cefoperazona, cefotetan, moxalactam ou plicamicina: aumentam o risco de úlceras gastrintestinais devido aos efeitos antiplaquetários e hipoprotrombinêmicos destes; Antidiabéticos orais ou insulina: aumentam o efeito hipoglicemiante, pois as prostaglandinas estão diretamente envolvidas no mecanismo regulador do metabolismo da glicose, e também, possivelmente, os antiinflamatórios não-esteróides deslocam os antidiabéticos orais do complexo protéico plasmático; Anti-hipertensivos: há uma redução ou reversão do efeito anti-hipertensivo devido, possivelmente, à inibição de prostaglandinas renais e/ou causar a retenção de sódio e de líquidos; Glicosídeos cardíacos: AINEs podem exacerbar a insuficiência cardíaca, reduzir a taxa de filtração glomerular e aumentar os níveis de glicosídios cardíacos no plasma; Diuréticos: pode haver diminuição da eficácia diurética e anti-hipertensiva e aumento do risco de insuficiência renal secundária, provavelmente devido à inibição da síntese de prostaglandinas renais; Colchicina: aumenta os riscos de hemorragias e ulcerações gastrintestinais; Compostos de ouro: comumente usados em associação para o tratamento de artrite podem aumentar o risco de efeitos adversos renais; Ciclosporina: aumenta a concentração sérica desta por inibição das prostaglandinas renais e aumenta o risco de nefrotoxicidade; Medicamentos potencialmente depressores medulares ou radioterapia: podem aumentar o risco de efeitos adversos hematológicos; Metotrexato: aumenta a gravidade dos efeitos adversos renais; Mifepristona: trometamol cetorolaco não deve ser administrado por 8 a 12 dias após sua administração, uma vez que pode reduzir os seus efeitos; Lítio: possivelmente aumenta a concentração sérica de equilíbrio do antimaníaco; Probenecida: aumenta os níveis plasmáticos e a meia-vida de cetorolaco trometamol; Quinolonas: aumento do risco de apresentar convulsões; Sulfimpirazona: aumenta o risco de ulcerações e hemorragia gastrintestinais.

Posologia e modo de usar.

Comprimidos e Gotas: Pacientes até 65 anos de idade: A dose recomendada é de 10 a 20 mg em dose única ou 10 mg a cada 6 a 8 horas. A dose máxima diária não deve exceder 60 mg. Pacientes com mais de 65 anos de idade, menos de 50 Kg ou pacientes com insuficiência renal: A dose recomendada é de 10 a 20 mg em dose única ou 10 mg a cada 6-8 horas. A dose máxima diária não deve exceder 40 mg. O tempo total de tratamento não deve superar o período de 5 dias. Injetável: Dose Única (Intramuscular ou intravenosa). Pacientes < de 65 anos de idade: dose única de 30 a 60 mg IM de acordo com a intensidade da dor ou uma dose de 30 mg IV. Pacientes > 65 anos de idade, com menos de 50 Kg ou pacientes com insuficiência renal: dose de 15 a 30 mg IM ou 15 mg IV. Crianças com 2 anos de idade: Uma dose IM de 0,5 a 1,0 mg/kg ou 0,5 mg/kg IV. A infusão endovenosa pode ser de 0,17 mg/kg/h. A dose máxima não deve exceder 30 mg IM e 15 mg IV. Toragesic® injetável não é recomendado para crianças com menos de 2 anos de idade, pela experiência limitada com seu uso nesta faixa etária. É mais recomendável utilizar a via intravenosa em crianças, devido à dor.

Reações adversas.

REAÇÕES ADVERSAS/ COLATERAIS.
Gastrintestinais: náusea, dispepsia, dor gastrintestinal, sangramento gastrintestinal, desconforto abdominal, hematêmese, gastrite, esofagite, diarréia, eructação, constipação, flatulência, saciedade, melena, úlcera péptica, ulceração gastrintestinal não-péptica, sangramento retal, estomatite ulcerativa, vômito, hemorragia, perfuração, pancreatite. - Sistema nervoso central / musculoesquelético: ansiedade, sonolência, dor de cabeça, suor, boca seca, nervosismo, parestesia, distúrbios funcionais, pensamento anormal, depressão, euforia, convulsões, sede excessiva, dificuldade de concentração, insônia, mal-estar, fadiga, estimulação, vertigem, paladar e visão anormal, neurite óptica, mialgia, sonhos anormais, alucinações, hipercinesia, perda da audição, tinito, meningite asséptica, reações psicóticas. Renal: nefrotoxicidade incluindo aumento da freqüência urinária, oligúria, falência renal aguda, hiponatremia, hipercalemia, síndrome hemolítico-urêmica, dor nos flancos (com ou sem hematúria), creatinina e uréia sérica aumentada, nefrite intersticial, retenção urinária, síndrome nefrótica. Cardiovascular / hematológica: rubor facial, bradicardia, palidez, púrpura, trombocitopenia, neutropenia, agranulocitose, anemia aplástica, hipertensão, palpitações, dor torácica.

Dizeres legais.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
MS n°: 1.0583.0246.

Princípios Ativos de Toragesic

Patologias de Toragesic

Laboratório que produce Toragesic