PILOCAN

LATINOFARMA

pilocarpina

Antiglaucomatoso. Miótico.

Apresentações.

Colírio: embalagem com 1 frasco plástico conta-gotas contendo 10 mL de solução estéril.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO.

Composição.

Cada mL de PILOCAN 2% contém: cloridrato de pilocarpina 20 mg; Veículo estéril q.s.p.1mL. Componentes não ativos: ácido bórico, citrato de sódio, edetato dissódico, hidroxietilcelulose, cloreto de benzalcônio (como conservante) e água purificada.

Informações técnicas.

A pilocarpina é um parassimpatomimético com ação colinérgica direta sobre os receptores muscarínicos da musculatura lisa da íris e glândulas de secreção. Provoca miose através da contração do esfíncter da íris. A contração do músculo ciliar aparentemente abre os espaços intertrabeculares e facilita a drenagem do humor aquoso. No glaucoma de ângulo fechado, a constrição pupilar aparentemente traciona a íris, distanciando-a das trabéculas, aliviando o bloqueio da malha trabecular. Farmacocinética - Início de ação rápido, com aparecimento de miose em 10 a 30 minutos e persistente por 4 a 8 horas. A redução máxima da pressão intraocular ocorre em até 75 minutos após a instilação do colírio, persistindo por 4 a 14 horas.

Indicações.

Como miótico, no controle da pressão intraocular elevada (glaucoma). PILOCAN (cloridrato de pilocarpina) solução oftálmica pode ser usado em combinação com outros mióticos, betabloqueadores, inibidores da anidrase carbônica e agentes simpatomiméticos ou hiperosmóticos.

Contraindicações.

Irites. Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Glaucoma por bloqueio pupilar.

Precauções.

A miose geralmente provoca dificuldade na adaptação para visão noturna. Recomenda-se cautela ao dirigir à noite ou realizar tarefas perigosas sob iluminação insuficiente. O produto deve ser usado com cautela nos casos onde exista risco de deslocamento da retina. Devem-se observar os cuidados habituais nos casos de glaucoma secundário associado a processos inflamatórios.

Interações medicamentosas.

O uso concomitante de alcalóides da beladona oftálmicos ou ciclopentolato pode interferir com a ação antiglaucomatosa desse medicamento. A pilocarpina antagoniza os efeitos midriáticos destes medicamentos, o que pode ser utilizado como vantagem terapêutica.

Posologia e modo de usar.

Exclusivamente para o uso tópico. A concentração e a frequência diária de instilações necessárias para manter o controle da pressão intraocular serão estabelecidas a critério médico.

Reações adversas.

Espasmo ciliar, irritação ocular, congestão vascular conjuntival, cefaléia temporal ou supraorbitária e indução de miopia, principalmente em pacientes jovens, que iniciaram recentemente a administração. Redução da acuidade visual sob iluminação deficiente. O uso prolongado pode causar opacificação do cristalino. Tal como todos os mióticos, raros casos de deslocamento da retina foram relatados quando usado em indivíduos suscetíveis.

Superdose.

Reações sistêmicas seguidas da administração tópica são extremamente raras.
Uso Geriátrico: PILOCAN (cloridrato de pilocarpina) solução oftálmica pode ser usado por pessoas acima de 65 anos de idade, desde que observadas as precauções comuns ao produto.

Dizeres legais.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
MS n° 1.1725.0019.003-7

Princípios Ativos de Pilocan

Patologias de Pilocan

Laboratório que produce Pilocan