DIELOFT TPM

MEDLEY

cloridrato de sertralina

Apresentações.

Comprimidos revestidos de 50mg. Embalagem com 14 comprimidos.

Indicações.

tratamento dos sintomas da síndrome da tensão pré-menstrual (STPM) e/ou transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM).

Contraindicações.

hipersensibilidade aos componentes da fórmula; uso concomitante com inibidores da MAO.

Advertências e precauções.

não deve ser usada em combinação com um IMAO ou dentro de 14 dias após a descontinuação do tratamento com IMAO; a co-administração de sertralina com outros fármacos que aumentam os efeitos da neurotransmissão serotoninérgica, deve ser realizada com cuidado e ser evitada sempre que possível. Cautela ao substituir a terapia com antidepressivos ISRS por sertralina.mania/hipomania ocorreu em uma pequena proporção de pacientes com distúrbio afetivo;. Cautela em pacientes com doença hepática e no uso concomitante com antidepressores tricíclicos. Pode interferir nas habilidades mentais ou físicas necessárias para a realização de tarefas potencialmente arriscadas como dirigir e operar máquinas. Este fármaco somente deve ser usado durante a gravidez e a amamentação se estritamente necessário. A segurança e a eficácia do uso de cloridrato de sertralina foram estabelecidas para pacientes pediátricos (com idades variando entre 6 e 17 anos) apenas para o tratamento do TOC.

Interações medicamentosas.

inibidor da monoaminoxidase (IMAO), lítio, fenitoína, sumatriptano, varfarina, outros fármacos serotoninérgicos, diazepam, tolbutamida, cimetidina, propafenona, flecainida, álcool.

Posologia e modo de usar.

Iniciar a medicação 14 dias após o primeiro dia da menstruação com a dose de 50mg/dia. Baseado na resposta clínica e tolerabilidade, as pacientes que não estiverem obtendo resultados podem ser beneficiadas com aumentos de dose até um máximo de 100 mg/dia, quando administrado somente durante a fase lútea do ciclo (últimas duas semanas). A resposta ao tratamento deve ser evidenciada no período de até três ciclos menstruais. USO ADULTO.

Reações adversas.

boca seca e aumento da sudorese, tontura e tremor, diarreia/fezes amolecidas, dispepsia e náusea, anorexia, insônia e sonolência, retardo na ejaculação, midríase e priapismo, reação alérgica, reação anafilactóide, astenia, febre, rubor, mal-estar, diminuição e aumento de peso, dor torácica, edema, hipertensão, síncope e taquicardia, coma, convulsões, enxaqueca, distúrbios motores, parestesia e hipoestesia galactorréia, ginecomastia, hiperprolactinemia e hipotireoidismo, síndrome da secreção inapropriada de hormônio anti-diurético, dor abdominal, aumento do apetite, constipação, pancreatite e vômito, tinido, função plaquetária alterada, distúrbios hemorrágicos, leucopenia, púrpura e trombocitopenia, eventos hepáticos graves, hiponatremia e aumento do colesterol sérico, artralgia, ansiedade, sintomas de depressão, euforia, alucinações, diminuição da libido, paroníria, psicose e bocejo. Irregularidades menstruais, broncoespasmo, alopecia, angioedema, fotossensibilidade na pele, prurido, rash, urticária, incontinência e retenção urinária.

Dizeres legais.

Registro no MS: 1.0181.0554.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.
SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Princípios Ativos de Dieloft Tpm

Laboratório que produce Dieloft Tpm