CREON®

ABBOTT SAÚDE

pancreatina

Digestivo.

Apresentações.

CREON® (pancreatina) 10.000 é apresentado em cartucho contendo 30 cápsulas de pancreatina sob a forma de minimicroesferas com revestimento ácido-resistente.
CREON® (pancreatina) 25.000 é apresentado em cartucho contendo 30 cápsulas de pancreatina sob a forma de minimicroesferas com revestimento ácido-resistente.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO
USO ORAL

Composição.

Cada cápsula de CREON® (pancreatina) contém:

Excipientes: macrogol, ftalato de hipromelose, dibutilftalato, petrolato líquido leve, dimeticona, gelatina, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro amarelo, dióxido de titânio e óxido de ferro preto (somente para CREON® 10.000) q.s.p. 1 cápsula

Características.

CARACTERÍSTICAS
Propriedades Farmacodinâmicas
A reposição enzimática é necessária sempre que houver secreção pancreática insuficiente, o que causa o aparecimento dos sintomas de má digestão. As enzimas pancreáticas ingeridas por via oral são essenciais para promover a adequada transformação dos diversos nutrientes em partículas absorvíveis. Assim, a lipase hidrolisa as gorduras, a amilase hidrolisa os carboidratos e a protease hidrolisa as proteínas.
As cápsulas de CREON® (pancreatina) dissolvem-se no estômago em poucos minutos e liberam centenas de minimicroesferas com revestimento ácido-resistente. Este revestimento ácido-resistente protege as enzimas da desnaturação e destruição causadas pelo suco gástrico. As minimicroesferas misturam-se de modo homogêneo com os alimentos e garantem uma boa distribuição das enzimas no quimo.
A velocidade com que os alimentos e sólidos não digeríveis deixam o estômago é devida, em parte, ao tamanho das partículas que os constituem.
A fim de permitir uma ótima passagem das minimicroesferas do estômago para o duodeno junto com os alimentos, as minimicroesferas sofrem, durante a sua produção, um processo de clivagem que lhes possibilita alcançar um tamanho de 0,7 - 1,6 mm cada uma.
É importante assegurar uma adequada hidratação do paciente, em especial nos períodos de maior perda de líquidos. Uma hidratação inadequada pode agravar a constipação.
Propriedades Farmacocinéticas
Os suplementos de enzimas pancreáticas não necessitam de absorção para exercer o seu efeito. Pelo contrário, a atividade terapêutica total ocorre no lúmen do trato gastrintestinal. Além disso, as enzimas pancreáticas são proteínas e, como tal, sofrem uma digestão proteolítica ao longo do trato gastrintestinal, sendo posteriormente absorvidas como peptídeos e aminoácidos.

Indicações.

CREON® (pancreatina) é indicado para o tratamento da insuficiência pancreática exócrina de adultos e crianças.
A insuficiência pancreática exócrina costuma estar associada, mas não exclusivamente, às seguintes situações:
Fibrose cística
Pancreatite crônica
Pós-pancreatectomia
Gastrectomia
Câncer pancreático
Cirurgia de bypass pós-gastrintestinal (por exemplo: gastroenterostomia de Billroth II)
Obstrução do ducto pancreático ou ducto biliar comum (por exemplo: por neoplasia)

Contraindicações.

CREON® (pancreatina) não deve ser administrado a pacientes com conhecida hipersensibilidade à pancreatina de origem suína ou aos demais componentes do medicamento.

Advertências e precauções.

Não administrar medicamentos por via oral durante os estágios iniciais da pancreatite aguda.
Gravidez e lactação
Não existem dados adequados sobre o uso de CREON® (pancreatina) durante a gravidez. Estudos em animais são insuficientes no que se refere aos efeitos na gravidez, no desenvolvimento embrionário/fetal, durante o parto e no desenvolvimento pós-natal. O risco potencial para humanos é desconhecido. CREON® (pancreatina) deve ser administrado durante a gravidez e lactação somente quando os benefícios suplantarem os potenciais riscos.

Interações medicamentosas.

Não existem evidências de interações com outras drogas ou quaisquer outros tipos de interação.

Posologia e modo de usar.

A posologia deve ser ajustada segundo as necessidades de cada paciente e depende da gravidade da doença e do tipo de alimento ingerido.
Recomendações gerais:
Recomenda-se tomar metade ou um terço da dose total (veja abaixo) no início das refeições e o restante durante as mesmas. As cápsulas de CREON® (pancreatina) devem ser ingeridas inteiras e com auxílio de um líquido durante as refeições ou lanches, não devendo ser mastigadas ou amassadas. Quando a deglutição das cápsulas for difícil (por exemplo: crianças muito pequenas ou idosos) as cápsulas poderão ser cuidadosamente abertas e as minimicroesferas ingeridas com a ajuda de um líquido (exemplo: sucos de frutas). Qualquer mistura das minimicroesferas com alimento ou líquidos deve ser ingerida imediatamente, não devendo ser armazenada.
Posologia na fibrose cística (FC):
De acordo com a "Cystic Fibrosis Consensus Conference" e estudos promovidos pelas fundações da FC nos Estados Unidos e no Reino Unido, recomenda-se o seguinte esquema posológico para a terapia de reposição enzimática:
• A dose de enzimas baseada no peso deve começar com 1000 unidades de lipase/kg/refeição para crianças com menos de 4 anos de idade, e com 500 unidades de lipase/kg/refeição para crianças com mais de 4 anos;
• A dose deve ser ajustada de acordo com a gravidade da doença, o controle da esteatorréia e a manutenção de um bom estado nutricional;
• De um modo geral, os pacientes não devem exceder a dose de 10.000 unidades de lipase/kg de peso por dia.
Posologia em outros distúrbios da insuficiência pancreática exócrina:
A dose deve ser individualizada e determinada conforme o grau de má absorção e o conteúdo de gordura das refeições.
O número de cápsulas a serem administradas durante as refeições ou lanches deve ser aquele que reduz a esteatorréia a um mínimo e garante um bom estado nutricional.
CREON® (pancreatina) 10.000: A dose inicial habitual é de 1 ou 2 cápsulas de CREON® 10.000 por refeição ou lanche. A prática clínica sugere que se administrem por refeição, no mínimo, 2 a 4 cápsulas de CREON® 10.000 e, durante o lanche, 2 cápsulas.
CREON® (pancreatina) 25.000: A dose inicial habitual é de 1 cápsula de CREON® 25.000 por refeição ou lanche. A prática clínica sugere que se administrem por refeição, no mínimo, 1 a 2 cápsulas de CREON® 25.000 e, durante o lanche, 1 cápsula.

Reações adversas.

Em dados obtidos a partir de trabalhos clínicos, a incidência total de reações adversas à pancreatina é a mesma daquelas relatadas com placebo.
Dor abdominal é comumente observada, enquanto que constipação, diarréia, náuseas, alterações nas características das fezes e reações cutâneas foram apenas ocasionalmente relatadas. Foram descritos casos de estenose da região íleo-cecal e do intestino grosso, bem como colite, em crianças com fibrose cística usando suplementos enzimáticos de alta potência. Estudos realizados não revelaram associação entre CREON® (pancreatina) e o aparecimento de colonopatia fibrosante. Como medida de precaução, caso surjam sintomas abdominais imprevistos ou alterações dos sintomas abdominais usuais, deve-se excluir a possibilidade de uma lesão do cólon, em especial se o paciente estiver tomando mais de 10.000 unidades de lipase por kg/dia.

Superdose.

Doses excessivas de pancreatina podem desencadear hiperuricosúria e hiperuricemia.

Pacientes idosos.

Não existem restrições específicas para o uso em pacientes idosos.

Dizeres legais.

Reg. MS -1.0082.0145
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Princípios Ativos de Creon

Laboratório que produce Creon